Vídeo: Pastor diz que Pokemom GO é coisa do diabo




Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.


O Pokémon Go chegou ao Brasil na última quarta-feira (3) e tem milhares de usuários. Pessoas de todas as idades se divertem caçando as criaturas pelas ruas da cidade. O que é diversão para a maioria é tido como um grande problema por alguns. Um pastor alertou que o game pode ser fruto de uma conspiração satânica.

A informação é do site “Gospel Mais”. Segundo eles, um líder evangélico internacional, o televangelista Rick Wiles, fez uma denúncia e disse que o Pokémon Go é fruto de uma conspiração satânica para conseguir alienar mentes.

Sucesso na Europa e Estados Unidos, o Pokémon Go reúne pessoas em parques, praças e até em templos, para que elas possam caçar as criaturas.

Esta eterna busca pela captura de personagens fez com que Rick Wiles concluísse que as pessoas começam a ter um comportamento inexplicável e que toda esta necessidade de sair em busca dos personagens nada mais é do que uma arma espiritual feita pelo próprio satanás.

Wiles teria dito em um programa de TV que com o game o diabo estaria “visando igrejas com cyber demônios digitais virtuais”. “Eu acredito que essa coisa é um ímã para os poderes demoníacos”, declarou.

Pastor usa Pokémon Go a seu favor

Enquanto um acredita que seja uma obra do demônio, outro pastor viu no Pokémon Go uma forma de atrair fiéis. Como os templos acabam sendo locais de caça dos personagens, ele aproveitou a concentração de jogadores em sua igreja para tentar atrair as pessoas e evangelizar.

Desde que o número de “caçadores” cresceu, voluntários ficam na área externa da igreja para se apresentar e conversar com que está jogando Pokémon Go. A ideia foi de Chuck Bomar, que dirige uma igreja na cidade de Portland, no estado do Oregon (EUA).

“Tudo o que fazemos, deve ser para o bem, seja um jogo, tecnologia, ou qualquer outra coisa. É realmente fácil, porque ela poderia ser usada para o mal, mas nós estamos usando para o bem”, afirmou Bomar.


Comentários

Loading...

você pode gostar também Os artigos deste autor