Você nunca e jamais de jeito nenhum será rico saiba os porques




Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.


Existe um ditado que diz “pai rico, filho nobre, neto pobre”.

Ele resume como fortunas inteiras viram pó de uma geração para a outra. Infelizmente, o contrário não é válido: a pobreza parece perpetuar-se de geração em geração. A riqueza é um sonho que se concretiza para poucos.

Segundo especialistas, uma vida confortável está mais ao alcance do que se costuma acreditar; basta se livrar ou controlar alguns impulsos, tendências e maus hábitos. Sabe quais são?

Você não economiza tanto quanto deveria

Um estudo encomendado pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e divulgado em março de 2014 apontou que o brasileiro não tem o hábito de guardar dinheiro e, quando poupa, é para gastar. A pesquisa questionou os entrevistados sobre o que eles fariam se recebessem um salário cinco vezes maior. Nessa situação hipotética, 68% dos consumidores disseram que gastariam o valor reformando a casa, comprando um carro ou fazendo uma viagem. Para construir um pé de meia, poupar deve ser uma prioridade na sua vida. Primeiro, faça um fundo de emergência. Depois, invista na compra de uma casa ou na abertura de um negócio.rico

Você não é paciente

Algumas dívidas são resultado da construção de um patrimônio: a compra de uma casa, a abertura ou ampliação de um negócio, por exemplo. Mas isso não vale para os cartões de crédito. Eles têm algumas das taxas de juros mais altas do mercado. Se você precisou recorrer a ele é porque não foi paciente para economizar e comprar em dinheiro vivo ou porque não poupou para uma emergência. Se você está muito endividado, comece liquidando as contas dos cartões. Depois, livre-se deles.ricop

Você não planeja

Para chegar “lá”, primeiro você precisa descobrir onde fica. Estabeleça uma meta clara e realista. Do contrário, ficar rico, seja lá o que isso significar para você, parecerá um sonho inatingível e você vai usar isso como justificativa para desistir antes de tentar. Há um ditado que diz “Aqueles que fracassam em planejar, planejam fracassar”. Não cometa esse erro. Defina um plano financeiro para alcançar seus objetivos de vida. Pode parecer chato, mas logo o planejamento vai se tornar parte do seu cotidiano e cada pequena conquista vai incentivá-lo a buscar objetivos mais ambiciosos.

ricopl

Você não tem uma poupança para casos de emergência

A busca pelo seu primeiro milhão pode naufragar na primeira emergência financeira que você enfrentar. Por isso, antes de construir sua fortuna, faça um pé de meia. Economize um pouco todos os meses até acumular o equivalente a seis meses de salários. Se acontecer algum tropeço no caminho, esse dinheiro será sua rede de proteção. Essas economias devem ser sagradas para você. Somente depois que chegar lá você estará preparado para dar o próximo passo: construir uma fortuna que lhe permita realizar seus planos de vida.poupança

Você tem maus hábitos

Pare de reclamar das dívidas, do salário baixo e dos seus problemas de saúde. O consumo de bebidas alcoólicas, o tabagismo, o jogo e outros maus hábitos podem escoar uma parte considerável da sua renda. Para ter uma noção disso, contabilize quantos maços de cigarro você consome por semana, quantas vezes vai a bares e boates por mês e faça as contas. Enquanto você não rever os velhos hábitos e se livrar deles, não conseguirá sair do lugar. Você é o responsável por seus maus costumes e depende de você superá-los.maubitos

 

Você não pensa no amanhã

Não pensar no futuro leva ao consumo excessivo e isso resulta em dívidas. Pare de comprar por impulso. Crediário e cartão de crédito não combinam com seus objetivos de vida. A aposentadoria parece muito distante? Ótimo, comece já a planejá-la e será mais fácil ter um estilo de vida confortável no futuro. Dar o primeiro passo não é fácil: comece poupando um pouquinho por mês. Mesmo que você tenha dívidas, reveja seus hábitos, corte excessos, quite suas dívidas e guarde algum dinheiro, mesmo que a quantia seja mínima.amanha

Você se preocupa com as aparências

As pessoas que buscam riqueza têm algum em comum: querem conquistar um estilo de vida luxuoso de mansões, carrões, viagens, roupas caras, restaurantes sofiesticados, etc. Por isso, “torram” o dinheiro muito antes de construir uma poupança, realizar investimentos e abrir ou expandir um negócio. Esses “alpinistas sociais” competem com vizinhos, colegas, familiares e amigos por quem têm as melhores roupas ou eletrônicos. O resultado: gastam rios de dinheiro em brinquedinhos para impressionar os outros e acabam se endividando quando deveriam poupar.aparencia

Você é medroso ou arrojado demais

Não aposte todas suas fichas no mesmo número. Pôr todos seus recursos em um tipo de investimento não é muito diferente de jogar na loteria. Nos dois casos, você vai depender da sorte para obter retorno. Esse é um erro comum entre pessoas medrosas e arrojadas. Diversifique seus investimentos em fundos com diferentes níveis de risco e de retorno. Consulte seu gerente ou analista financeiro para definir uma carteira de investimentos.medroso

Você não cai na real

Você vive esperando que a grande oportunidade da sua vida o encontre ao dobrar a esquina, seja uma oferta de trabalho, um aumento de salário ou uma herança. Mas nada disso está sob seu controle. Você tem 50 vezes mais chances de ser atingido por um raio do que de ganhar a Mega-Sena. Se você percebe isso, então por que não tomar as rédeas do que realmente está sob seu controle? Ajude a si mesmo, em caso de que outras pessoas ou o acaso não o façam.cainareal


Você não quer (e não há nada de mau nisso)

Com uma fortuna estimada em US$ 80 bilhões, Bill Gates atualmente se dedica à Bill & Melinda Gates Foundation, instituição de caridade que dirige junto com sua esposa. Apesar da conta bancária, o fundador da Microsoft não incentiva outras pessoas a buscar a riqueza. Em conversa com estudantes da Universidade de Washington, em outubro de 2011, ele concordou que o dinheiro dá certa “liberdade”, mas que pouca coisa muda na vida de um milionário. Para ele, “ser ambicioso é bom. Você só precisa definir o que gosta de fazer”. Por isso, lembre-se: a riqueza é um resultado, não uma razão — e as razões importam se seu objetivo for ser feliz.naoquer

fonte (acidezmental.xpg.uol.com.br)

você pode gostar também Os artigos deste autor

Comentários

Loading...