You tube : Mara Maravilha faz show em boate gay, veja o vídeo

0

 

A cantora Mara Maravilha pediu perdão aos homossexuais pela polêmica em que se envolveu há dois anos, quando se disse favorável ao projeto de lei apelidado de “cura gay”. O pronunciamento de Mara aconteceu durante uma apresentação dela em uma boate gay, no último final de semana.

Após 18 anos dedicando-se exclusivamente à música gospel, em janeiro de 2014 Mara Maravilha retomou sua carreira secular e passou a se apresentar também cantando suas antigas músicas românticas.

No último final de semana, convidada para um show numa boate, Mara cantou músicas que fizeram sucesso nos anos 1980, como “Liga Pra Mim” e “Não Faz Mal”, dentre outras, segundo informações da revista Caras.

“Nunca tive nenhuma intenção de desrespeitar e magoar ninguém, mas se de alguma forma alguém se sentiu ofendido, peço perdão […] Me disseram que não era para eu vir aqui, que vocês não me amavam, mas mesmo estando há 3 dias com uma forte gripe, que quase me impediu de vir, estou aqui porque tenho convicção que da minha parte nunca houve nenhum preconceito, porque o meu Deus se chama amor”, discursou a cantora.

“Cura gay”

A polêmica com os homossexuais aconteceu em setembro de 2013, quando participou de um debate e se disse favorável ao projeto do deputado federal João Campos (PSDB-GO), que previa a derrubada de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe profissionais de psicologia de atenderem homossexuais em busca de reorientação sexual.

À época, Mara foi chamada de homofóbica e precisou explicar sua posição de forma mais detalhada: “Estou sendo mal interpretada! Nunca disse que gay é aberração! Não levanto nenhuma bandeira política oportunista. Em todas estas calúnias contra mim, o que vai prevalecer é a minha conduta de respeito e amor ao próximo, sem fazer acepção de pessoas. Aberração é a falta de democracia e liberdade de expressão. Bullying é aberração. Não vou me intimidar, continuo contando com o bom senso e a inteligência de todos independente de suas escolhas sexuais, religiosas e políticas. No demais vai tudo bem, e não pretendo comentar mais sobre o assunto. Porque o justo não se justifica”, disse à época.

Comentários
Loading...