JornalPRIME
Notícias & Entretenimento

Bíblia Gay: assunto polêmico está de volta nas redes sociais

A Sociedade Bíblica Brasileira diz que o autor da 'Bíblia Gay' não poderia ter usado os textos bíblicos em sua edição, a polêmica está de volta.



0
Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.

O pastor José Marvel Queiroz de Souza, o responsável pela Bíblia Gay, ou oficialmente, batizada como “Bíblia Graça Sobre Graça”, no Brasil, entrou com processo contra a SBB (Sociedade Bíblica do Brasil) a acusação é de difamação e calúnia.

A SBB disse a um site gospel que não autorizou José Marvel a usar os textos da Bíblia na edição da Biblia Gay

A polêmica começou novamente em torno do assunto, por conta da notícia veiculada na mídia, de que o autor da apelidada Biblia Gay, teria usado os textos bíblicos sem autorização da entidade, Sociedade Bíblica do Brasil, que alega ser detentora dos direitos autorais da original no Brasil.

O ativista homosexual Marvel, autor da obra, afirma ainda que o pedido de cessão de direitos dos textos bíblicos foram feitos no ano de 2012, sendo que a entidade tinha também conhecimento da forma como seriam usados.

O que é a ‘Bíblia Gay’, ou ‘Bíblia Graça Sobre Graça’

A edição da Bíblia Gay, foi uma iniciativa tomada pelo autor, voltada para a evangelização da comunidade gay, ele revela ainda que, a ideia era chamar a Bíblia editada para a comunidade de ‘Bíblia Cristão Homoafetivo’.

Na época a ‘Revista Super interessante‘ chegou a publicar matéria sobre o lançamento da Bíblia especial para gays, mas relata que o contrato foi formalizado em 201, tendo sua rescisão ocorrida em 2015.

Ele conta que, devido à grande repercussão causada por uma matéria da revista em questão, sobre o projeto, setores fundamentalistas e membros da SBB insistiram por um acordo que culminasse com o distrato.

Caso do pastor Abílio Santana e “Bíblia Gay”

Entre outras polêmicas causadas pelo lançamento do livro sagrado dos cristãos, modificado para a comunidade gay, destaca-se o do pastor Abílio Santana, que foi incluído em crime de “incitação de intolerância religiosa”, configurando crime de injúria racial, após divulgar vídeo nas redes sociais contendo críticas a “Bíblia Comentada Graça Sobre Graça”, ou bíblia gay.

o pastor foi processado pelo casal de pastores homossexuais Marvel Souza e Raphael Lira, que também são líderes da igreja ‘Comunidade Cristã Incluídos pela Graça’, em Brasília.

E por conta da volta do assunto às mídias, voltaram também as manifestações de internautas a respeito do assunto que estava já um pouco esquecido, muitos contra e outros a favor, e você, qual sua opinião sobre a Biblia Gay, comente.