Centro de internação acumula lixo e tem esgoto a céu aberto, em Goiás



Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.

[ad_1]

Funcionários do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, denunciam as péssimas condições do local, onde dois adolescentes foram assassinados neste ano. Imagens feitas por servidores que preferiram não se identificar mostram lixo acumulado e paredes quebradas (veja vídeo).

“As celas até hoje não foram reformadas. Tem mato alto, esgoto a céu aberto, ratos, sujeira. Não tem como alojar o interno naquelas condições de higiene, que são precárias tanto pra eles quanto pra nós, servidores”, disse uma funcionária.

Eles denunciam que o corredor entre as celas está sempre molhado com água que escorre de um cano aberto. Objetos de ferro retirados das camas e usados em rebeliões também estão espalhados pelo prédio.

A Vigilância Sanitária informou que realizou uma vistoria no local em julho e identificou os problemas. Ainda conforme o órgão, o centro não tem alvará de funcionamento e, até segunda-feira (24) será emitido um relatório para pedir a interdição do Case à Justiça.

A Secretaria Cidadã, responsável pelo centro, defendeu que o local não tem alvará de funcionamento, devido à burocracia na prefeitura. Sobre as más condições do local,o órgão informou que tem feito reformas pontuais.

Menor morto
Um adolescente de 17 anos foi enforcado na unidade na quarta-feira (19). O delegado responsável pelo caso, Marcus Brenner, teme que outros casos semelhantes aconteçam.

“Esse não é o primeiro e, com esse cenário que estamos vendo, acho que não será o último. São 60 internos, dos quais 40 estão em guerra um com o outro. Prontos para ceifar a vida um do outro”, afirmou.

Outro menor, de 15 anos, foi morto da mesma forma em abril deste ano no local. A Secretaria informou que está tomando providências para diminuir a violência entre os internos.

Servidores afirmam que higiene do local é precária Goiás Luziânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Servidores afirmam que higiene do local é precária (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

[ad_2]

fonte : G1.globo.com


Comentários