Exclusivo : Patrícia Lélis e Talma Bauer será indiciado pela polícia


Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.

A estudante Patrícia Lelis, de 22 anos, será investigada por calúnia nesta quarta-feira (10) após denunciar o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) por assédio sexual e o chefe de gabinete do parlamentar, Talma Bauer por tentar acobertar o caso.

Um vídeo sob análise da Polícia Civil de São Paulo, onde a denúncia contra Bauer foi registrada, mostra os dois conversando sobre um pagamento de R$ 50 mil à jovem.

Lélis acusa Bauer de mantê-la em cárcere privado e de forçá-la a gravar vídeos negando que Feliciano tenha tentado violentá-la.

Na interpretação da polícia, partiu da estudante pedir o dinheiro. “Tem interesse dos dois, mas na gravação ela pede dinheiro”, afirmou o delegado Luís Roberto Hellmeister, do 3º DP (Campos Elíseos).

Lélis será indiciada por tentativa de extorsão e falsa comunicação de crime.

No diálogo, Bauer diz ter entregue R$ 50 mil a Artur Mangabeira, que seria namorado de uma amiga que Lélis conheceu pela internet. Mangabeira teria dito ser agente da Abin.

O intermediário, contudo, teria pago apenas R$ 10 mil à estudante. “Bauer, eu vou enfiar a cara dele no chão. […] Me promete que você vai fazer alguma coisa com ele”, reage Lélis.

O chefe de gabinete então responde “eu não vou matar ele, mas eu dou um nó nele, alguma coisa eu faço”.


Comentários

Loading...