JornalPRIME
Notícias & Entretenimento

“A família está toda sem chão”, diz tia sobre risco iminente de morte de "Ken Humano"


kenhumano

Internado desde o dia 15 de janeiro, Celso Santebañes, conhecido como o “Ken Humano” descobriu recentemente que sofre de leucemia linfoide aguda, um tipo raro de câncer, e por isso precisou ser hospitalizado. De acordo com informações do HC-UFU (Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia), o modelo está inconsciente e corre risco iminente de morte. Veja a seguir e conheça esse tipo de câncer! .

A leucemia linfoide aguda, também conhecida como LLA, atinge 1 a cada 100 mil habitantes e, em geral, crianças entre dois a nove anos são as mais afetadas, segundo explica o hematologista Nelson Hamerschlak, membro do Comitê Científico Médico da Abrale (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia).

Segundo o oncologista pediátrico do AC Camargo Cancer Center Neviçolino Pereira de Carvalho Filho, de 25% a 30% das crianças que têm câncer sofrem de leucemia linfoide aguda.

— Essa doença é de caráter sistêmico, ou seja, ela ataca todo o organismo, pois, afeta as células do sangue, principalmente as células de defesa [os glóbulos brancos]. Tais células são importantes para defender o organismo de agentes que causam infecções.

Entre os sintomas estão a perda de peso repentina, febre, cansaço, perda de apetite e suor noturno. No caso do modelo, o que o levou a se dar conta da gravidade do caso, foi uma hemorragia interna.

Apesar de atacar os glóbulos brancos, o oncologista explica que o câncer também atinge outras células do corpo, como hemácias e plaquetas, provocando principalmente anemia. Como consequência, o paciente sentirá cansaço, fadiga, cefaleia e corre o risco de ter hemorragia

Segundo a Hamerschlak, a diminuição na produção de plaquetas pode ocasionar manchas roxas em locais não relacionados a traumas e sangramentos. Além disso, o médico explica que, apesar de o câncer estar no sangue, é raro atingir outros órgãos do corpo.

Desde sua internação, Santebañes se deparou com complicações do câncer. Uma delas, a flebite, foi em decorrência da quimioterapia. Trata-se de uma inflamação nas paredes das veias do braço, o que tem causado no paciente inchaço e dor — controlada com remédios e morfina

O tratamento inicial para a doença é a quimioterapia com várias medicações. A doença pode atingir todas as faixas etárias, mas em crianças a chance de cura com o tratamento quimioterápico é de 80%. Em adultos, o porcentual cai para cerca de 50%. Carvalho Filho explica que “a princípio não é necessário transplante de medula óssea”.

— O tratamento mais importante nesta idade é realmente a quimioterapia. O transplante entraria apenas em casos que não respondam bem à quimioterapia convencional.

O hematologista também explica que a cura só é considerada com a remissão da doença por mais de cinco anos após o término do tratamento

Santebañes sofreu infecção em decorrência de aplicação de hidrogel. Apesar disso, Carvalho Filho explica que não existe nada hoje na literatura médica que associe o “risco de desenvolver leucemia em decorrência de aplicações de substâncias como o hidrogel”.

— Essas substâncias não vão atrapalhar o tratamento. Porém, as regiões onde foram aplicadas o produto ficam mais propícias a sofrerem infecções, e a quimioterapia deixa o paciente mais exposto a essas infecções por causa da redução das células de defesa.

fonte : r7.com