JornalPRIME
Notícias & Entretenimento

"Jesus não falou nada” disse Edir Macedo sobre gays



0
Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.

O bispo Edir Macedo falou sobre a homossexualidade em seu programa de rádio e adotou uma postura que demonstra reconhecimento de que as escolhas são pessoais e não há nada a se fazer nesse sentido.

As palavras do líder da Igreja Universal do Reino de Deus sobre a homossexualidade mostraram uma flexibilidade inexistente quando o assunto foi o casamento entre pessoas de etnias diferentes.

Em julho de 2012, em um texto publicado em seu site, Macedo afirmou que não é recomendado que homens se casem com mulheres que não sejam de sua “raça”, por causa do preconceito que poderia despertar: “Não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco”, escreveu o bispo à época.

Já sobre a homossexualidade, Macedo destacou que sua postura é diferente das demais igrejas evangélicas, que enfatizam que a prática é pecaminosa e contrária aos princípios bíblicos.

“Deus não quer nada imposto. E nós na Igreja Universal não impomos nada a ninguém […] Há muitos crentes, pastores e igrejas levantando uma bandeira contra o movimento gay, contra o casamento de homossexuais. Eu pergunto: Jesus faria isso se estivesse vivendo no nosso tempo? Eu não creio que Ele faria. Porque no tempo d’Ele já havia homossexuais e Jesus não falou nada. Jesus não levantou uma bandeira, falando: ‘Olha, vocês têm que falar contra o homossexualismo, que é proibido, que não deve”, disse Macedo.

O pregador neopentecostal ainda disse que se manterá calado sobre essas questões, respeitando quem quiser viver na homossexualidade: “Eu não vou me envolver, que não vou falar, eu não vou levantar bandeira criticando a pessoa porque ela é homossexual, porque um homem vai casar com outro homem, uma mulher vai casar com outra mulher. Isso é problema deles. Deus nos deu o direito de escolher, de optar na nossa vida. Cada um segue a sua fé. Se a pessoa tem fé para ser homossexual é problema dela. É uma situação pessoal, não sou eu que vou impor a minha fé para ela, de forma nenhuma. Nem Deus faz isso”, concluiu.

Ouça a partir dos 20 minutos e 43 segundos: