Publisher is the useful and powerful WordPress Newspaper , Magazine and Blog theme with great attention to details, incredible features...

Porque grita dentro da igreja ? é certo isso ? descubra agora

Porque grita dentro da igreja ? é certo isso ? descubra agora
Porque grita dentro da igreja ? é certo isso ? descubra agora

Fui ordenado pastor há 6 anos e, durante todo esse período, ouvi com muita atenção a palavra de Deus através de vários pregadores. Passei, então, a me atentar à forma com que cada um deles anunciava o Evangelho de Cristo e, a partir disso, cheguei a 6 pontos importantes sobre a pregação, que tem me ajudado quando vou pregar na igreja. Vamos a elas:

1) A maioria dos cristãos realmente quer saber o que a Bíblia ensina

Apesar de alguns pregadores acharem o contrário, as pessoas estão sempre em busca de mais conhecimento bíblico. É por isso que as pessoas continuam indo à igreja semana após semana. Mas, infelizmente, muitas igrejas não trazem um alimento sólido na pregação da Palavra de Deus e também não oferecem discipulados e estudos bíblicos. Devemos entender que se a igreja quer crescer com qualidade, a Palavra de Deus nunca pode ficar em segundo plano.

2) A maioria das pessoas na igreja prefere que o pregador tenha entusiasmo

Não estou dizendo que o pregador deve gritar, mas levantar a voz para dar uma ênfase em algo não ofende ninguém. Gritar o tempo todo não é aconselhável. Ninguém (nem criança, nem adulto) gosta de ficar ouvindo alguém gritar por 30 ou 40 minutos. Além disso, se toda a mensagem é gritada, fica impossível enfatizar alguma coisa. Por outro lado, um pastor que fala baixo e não enfatiza pontos relevantes pode levar suas ovelhas ao tédio. Deve haver um bom senso.

3) Um grande diferencial da pregação é a forma como ela é transmitida

O pastor que entende seu papel como líder não pode deixar de amar o seu rebanho, mesmo se estiver desapontado com ele. Isso significa que ele sempre deve abordar suas ovelhas com amor e respeito. É preciso fazer com que a igreja sinta que a Palavra, por mais dura que seja, foi enviada por Deus e preparada por um pregador que tem zelo e está interessado no crescimento espiritual de cada membro.

4) Dizer “nós” em vez de “você” mostra que o pastor reconhece que ele não é perfeito

Nas minhas primeiras pregações, eu sempre apontava o dedo para as pessoas e usava a expressão “você”. Até que minha esposa me advertiu e disse que isso poderia me colocar numa posição de julgador e ofender as pessoas. Dizer “você” o tempo todo durante a Palavra traz a sensação de que você fala “de cima para baixo”, por isso nenhum pregador deve usar constantemente essa palavra quando for trazer a correção. Por exemplo: “Se você quer estar mais perto de Deus, você precisa passar um tempo a sós com Ele. Você nunca irá crescer se ignorar o estudo da Palavra de Deus”. Em vez disso, é melhor dizer: “Se nós, seguidores de Cristo, queremos estar mais perto de Deus, precisamos passar um tempo a sós com Ele. Nós nunca iremos crescer se ignorarmos o estudo da Palavra de Deus.

5) Não é preciso dar um show de humor no púlpito

A pregação da Palavra de Deus é algo sério e de grande responsabilidade, mas, isso não significa que não haja lugar para o humor nas suas pregações. Lembre-se: humor é um meio de comunicação que pode atrair as pessoas para ouvir a verdade e ele só se torna um problema quando ofusca a verdade. Por isso devemos saber o momento certo de usá-lo. Talvez você seja uma pessoa séria e não leva jeito para contar algo engraçado, (eu também sou assim), mas aprendi que um sorriso sempre é bem vindo e faz com que as pessoas abram o coração para a mensagem que será pregada.

6) Seja você mesmo quando for pregar

Phillips Brooks, grande pastor norte-americano que viveu no século XIX, disse certa vez que “pregar é mostrar a verdade através de sua personalidade”. Isso quer dizer que um pregador não deve imitar outro pregador renomado para levar a Palavra às pessoas. Isso só o impedirá de crescer espiritualmente e ver o agir de Deus em sua própria vida! Eu demorei muito tempo para entender que Deus não me chamou para ser um pastor igual ao Silas Malafaia ou André Valadão; Deus me chamou para que eu fosse simplesmente o Antônio Junior. É claro que não há nada de errado em aprender com os outros, mas Deus quer nos usar exatamente do jeito que somos. Nossa personalidade é única, e quanto mais formos autênticos, mais as pessoas verão com clareza a verdade que queremos transmitir a elas. Que Deus te abençoe!

Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.” (Romanos 10:13-15)

Fonte: http://www.pastorantoniojunior.com.br/