JornalPRIME
Notícias & Entretenimento

MUNDO FAKE : Compra seguidores , curtidas e amigos para facebook, twitter istagram vale a pena ou não ?


 

New York Times publicou(link is external) produziu um texto bem legal explicando como funciona essa história de robôs, compras de seguidores e likes. Nós traduzimos um trechinho do texto do Nick Bilton. Vale dar uma olhada na íntegra!

Amigos, e influência, à venda online

Seja quem for o autor da frase “O dinheiro não compra amigos”, certamente ele não conheceu a internet recentemente.

Na semana passada, eu comprei 4.000 novos seguidores no Twitter pelo preço de umamundo-fake xícara de café. Comprei 4.000 amigos no Facebook pelos mesmos US$ 5 e, por alguns dólares a mais, metade deles curtiram uma foto que eu compartilhei.

Se eu estivesse disposto a desembolsar 3.700 dólares, eu poderia ter feito um milhão – sim, um milhão – de novos amigos no Instagram. Por mais US$ 40, 10 mil deles teriam curtido uma das minhas fotos do pôr do sol.

Retweets. Curtidas. Favoritos. Comentários. Recomendações. Visualizações. Dê o nome que der; eles estão à venda em sites como Swenzy, Fiverr e inúmeros outros.

Muitos dos meus novos amigos vivem fora dos Estados Unidos, principalmente na Índia, Bangladesh, Romênia e Rússia – e eles não são exatamente humanos. Eles são robôs. Mas eles foram construídos para se comportar como se fossem pessoas nas redes sociais.

Robôs estão por aí há anos e eram facilmente detectados. Eles tinham fotos aleatórias nos seus avatares (muitas vezes de uma mulher sensual), nomes de usuários gerados por computador (como Jen934107), e compartilhavam besteiras (principalmente links para sites de pornografia).

Mas os robôs de hoje, para melhor camuflarem suas identidades, têm nomes que parecem reais. Além disso, “vivem” em horários humanos, parando suas atividades durante o meio da noite e voltando na parte da manhã. Eles compartilham fotos e até mesmo conversam com os outros. E há milhões deles.

Trecho publicado em 20 de abril, às 11:00, no Blog do The New York Times(link is external). Confira a íntegra aqui(link is external).

fonte (http://mudamais.com/)