Pastor engravida duas adolescentes em nome de jesus



Baixe o aplicativo do JornalPRIME É GRÁTIS.

Pastor engravida duas adolescentes em nome de jesus

O pastor José Pedro Campos Santos (foto), 60, foi preso pela polícia de Pinheiro (Maranhão) sob a acusação de ter engravidado duas adolescentes, uma de 14 anos (no quarto mês de gestação) e outra de 16 (no quinto mês), com a alegação de que elas eram “as escolhidas por Deus e pelo Espírito Santo”. A informação é da polícia.

Os pais das jovens são humildes e eles acreditavam na explicação do pastor e davam consentimento para o abuso, até que o pai de uma delas, separado da mãe, duvidou da escolha divina e deu queixa na polícia.pastor

Pinheiro fica a 333 km de São Luís, a capital do Estado, e tem cerca de 77 mil habitantes. Trata-se da cidade de José Agostinho Bispo Pereira, 54, que foi preso recentemente por ter sete filhos com a sua filha, hoje com 28 anos.

O pastor da igreja Cidade do Bom Deus abusou de cinco adolescentes porque, de acordo com seu depoimento à polícia, o Espírito Santo, por intermédio de anjo que apareceu diante de seus olhos, lhe comunicou que precisava de mulheres para conceber ‘salvadores do mundo’.

A delegada Laura Amélia Barbosa informou que, de início, o pastor ameaçou os policiais que o tinham prendido de maldições, com distúrbios mentais. Diante da informação de que as duas meninas estavam grávidas, ele falou que se tratava de um milagre.

“Ele disse que as meninas continuavam virgens, apesar de grávidas, como a Virgem Maria. Falou que as crianças que vão nascer dessa gestação vão destruir o mundo dos pecadores e construir um novo”, afirmou a delegada em entrevista a uma emissora da região.

Aos país das adolescentes, o pastor falava que a menina que tivesse com ele relação sexual teria garantido um lugar no céu. “Ele falava que a menina seria enviada para Deus”, disse a delegada.

As duas adolescentes confirmaram à delegada que tiveram relação sexual com o pastor Campos, mas argumentaram que os filhos não é dele, mas do Espírito Santo.

Com informações do Portal Imirante, do Maranhão.


Deixe uma resposta

Your email address will not be published.