Publisher is the useful and powerful WordPress Newspaper , Magazine and Blog theme with great attention to details, incredible features...

[diario_shortcode template=”card_img” colunas=”4″ s=”internofolha” numero_de_parceiros=”4″ mono_post=”sim” colunas=”4″ top=”4″]

Polícia Federal faz operação para apurar desvio de verbas públicas em Uberaba

A Operação Monturo 2 foi realizada em um condomínio de luxo

Uberaba, 24 de junho, por Aniele Lacerda, Jornal Prime – Nesta manhã, a Polícia Federal deflagrou a Operação Monturo 2, em um condomínio de luxo na cidade de Uberaba. O objetivo da investigação é a apuração do desvio de verbas públicas, destinadas para a limpeza urbana.

A operação da Polícia Federal foi em conjunto com o Ministério Público de Minas Gerais, através da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Uberaba. Além disso, cumpriram cinco mandados de busca e apreensão. Até o momento, nove veículos foram apreendidos.

Então veja também: Ações contra desmatamento será tema de debate na Assembleia Legislativa de Minas Gerais
Delegado da Polícia Federal fala sobre Operação em Uberaba
De acordo com o delegado da Polícia Federal, Mário Veloso, essa ação é uma forma de desarticular o crime organizado na cidade. Além disso, as apreensões de veículos, bloqueio de valores e sequestros de imóveis, solicitado pela justiça, é para ressarcimento aos cofres públicos. Para o promotor de justiça, José Carlos Fernandes Júnior, essa união das instituições é importante para defender o patrimônio público de Uberaba.

Além disso, leia mais sobre: Prefeitura Municipal de Uberaba assina Carta de Intenções para o Projeto Geoparque Uberaba
Operação Monturo na cidade
A Operação Monturo teve a sua primeira fase na cidade no mês de maio, em 2020. Na ocasião, cumpriram 24 mandados de busca e apreensão em Uberaba e mais duas cidades do estado de São Paulo. Então, apreenderam documentos e valores que ultrapassaram R$70 mil. No entanto, nenhuma pessoa foi presa.

Segundo informações da Polícia Federal, as investigações iniciaram em 2018, quando suspeitaram da relação suspeita entre funcionários públicos e as empresas terceirizadas contratadas para limpeza urbana.

As investigações apuraram recebimento de vantagens indevidas, fraudes, falsidade ideológica e superfaturamento. Em Uberaba, na época dos fatos, foram exonerados de seus cargos o secretário municipal de Fazenda, Wellington Fontes, e Antônio Sebastião de Oliveira, que era secretário municipal de Serviços Urbanos e Obras.

A decisão das exonerações teve anúncio do ex-prefeito da cidade, Paulo Piau, em seguida publicadas no Porta Voz. Na oportunidade, em um comunicado enviado para a imprensa, informaram que o pedido de exoneração foi dos próprios secretários. Então eles afirmaram que era melhor essa decisão, para que as investigações transcorressem de forma tranquila e transparente. Além disso, os ex-secretários comunicaram que assim esclareceriam rapidamente os fatos.

Portanto, não deixe de ler também sobre: Comissão da Câmara de Uberlândia discute sobre regularização de assentamento

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.