Publisher is the useful and powerful WordPress Newspaper , Magazine and Blog theme with great attention to details, incredible features...

[diario_shortcode template=”card_img” colunas=”4″ s=”internofolha” numero_de_parceiros=”4″ mono_post=”sim” colunas=”4″ top=”4″]

Vereadora de Rio Preto é acusada de quebra de decoro parlamentar

Cláudia de Giuli (MDB) é acusada pelo diretório municipal do PSOL

São José do Rio Preto, 27 de junho, por José Vitor Rack do Jornal Prime – A vereadora de São José do Rio Preto, Cláudia de Giuli (MDB) está em apuros. O diretório municipal do PSOL entrou com uma representação formal junto ao Conselho de Ética da Câmara de Vereadores contra ela. O Jornal Prime traz os detalhes a você nesta matéria.

Cláudia foi denunciada por quebra de decoro parlamentar por uma suposta afirmação feita afirmando que a então vereadora Jéssica Oliveira (PSOL) seria uma “abortista”. O fato descrito ocorreu em sessão realizada durante o mês de março. Um processo de quebra de decoro pode, em tese, até mesmo levar o vereador a perder o mandato.

A saber: Juquinha do PCC é assassinado na frente de casa em Rio Preto
Quem é a vereadora de Rio Preto ameaçada de quebra de decoro
Cláudia de Giuli nasceu em Tupã (SP) e cumpre seu segundo mandato de vereadora. Sua formação é em Enfermagem. Trabalhou na Hemodiálise da Santa Casa de Tupã. Uma vez que se mudou a cidade, também atuou em hospitais de Rio Preto. Teve um restaurante, é protetora animal e é viúva. Teve 2.922 votos na última eleição.

Nesse sentido, sua atuação na causa animal é marcante. Foi o que a projetou para a luta política e a disputa eleitoral em contrapartida. Constantemente organiza campanhas de arrecadação de ração e mutirões de adoção. Faz parte da base de sustentação do prefeito Edinho Araújo (MDB) na Câmara.

Logo depois: Prefeitura de Rio Preto anuncia investimento em esporte; saiba qual
Entenda a acusação contra a vereadora

Em resumo, Cláudia de Giuli nega que tenha chamado a colega de abortista durante sessão da Câmara, em outras palavras. O vídeo da sessão que se encontra disponibilizado em redes sociais já foi examinado e não se escuta a palavra abortista nele em nenhum momento. Ou seja: a vereadora do MDB afirma que é a favor da mulheres e que jamais chamaria alguém disso, por certo.

O encarregado de apurar os fatos é o presidente do Conselho de Ética, Paulo Pauléra (PP). O vereador disse que marcará uma reunião para examinar a denúncia. Não se sabe qual a tendência de resultado das investigações. Em síntese: desse modo, já que um processo desses pode gerar até uma perda de mandato, manda o bom senso que tudo seja apurado com seriedade e sem afobação. Por fim, a vereadora se diz tranquila para enfrentar um eventual processo.

Não perca: VLT de São José do Rio Preto começa a sair do papel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.